Você sabe quando vai morrer? Algoritmo de IA acerta 78% das vezes a data

Algoritmo Life2Vec teve precisão ao analisar país do individuo, histórico de saúde, renda, diagnóstico psiquiátrico e gênero.
25/12/2023 às 20:48 | Atualizado há 6 meses
20231224 inteligencia artificial algoratimos

Imagine se pudéssemos saber o futuro, antecipar eventos, especialmente os que dizem respeito à nossa própria morte. A ideia certamente parece intrigante. Num mundo onde a tecnologia está constantemente avançando, isso não é mais apenas uma questão de ficção científica. Graças ao rápido desenvolvimento da Inteligência Artificial (IA), estamos agora a um passo de prever certos aspectos da nossa vida. Life2Vec, um algoritmo revolucionário, diz que acerta quando a pessoa vai morrer dentro de 4 anos.

O estudo que foi publicado essa semana na revista Nature Computational Science, mostra que o algoritmo citado acertou em praticamente 78% das vezes a data da morte.

O que é Algoritmo Life2Vec?

O Life2Vec é um algoritmo de IA que foi desenvolvido para prever as chances de mortalidade prematura e estimar a renda que um indivíduo pode acumular ao longo de sua vida. Este algoritmo, desenvolvido por pesquisadores da Universidade Técnica da Dinamarca em colaboração com outras instituições, é o mais preciso já criado para esse fim.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

existem diversas ferramentas de IA que utilizam dados de saúde para prever riscos de doenças. Elas analisam o histórico médico do paciente e de sua família para detectar futuras complicações de saúde, como uma parada cardíaca ou efeitos colaterais de medicamentos. No entanto, o Life2Vec vai além dos dados de saúde, integrando também informações socioeconômicas e comportamentais.

Mas como que o Life2Vec funciona? Bem, ele usa uma abordagem semelhante ao ChatGPT, um tipo de IA conhecido como “transformer”. Ele é treinado com uma ampla base de dados, transformando essa informação em números representativos de eventos da vida de uma pessoa. Cada número representa um evento ou parte dele.

O algoritmo foi treinamento para essa função

O algoritmo é baseado em Inteligência Artificial Discriminativa, onde ele foi treinado com dados de cerca de 6 milhões de habitantes da Dinamarca, coletados entre 2008 e 2020. Estes dados incluíam informações sobre níveis de escolaridade, emprego e renda, a natureza e frequência de visitas a médicos e hospitais, diagnósticos passados, entre outros.

Algoritmo calcula possível data da morte
Imagem/reprodução: Universidade técnica da Dinamarca

O Life2Vec provou ser 11% mais preciso do que os atuais modelos de IA na previsão de mortalidade. No geral, as previsões do modelo estavam corretas 78% das vezes. Isso porque o algoritmo leva em conta não só o histórico de saúde, mas também renda, diagnóstico psiquiátrico e gênero do indivíduo.

Mas claro que nem tudo é perfeito quando se trata de IA. Apesar de sua eficácia, o Life2Vec tem suas limitações assim como qualquer outra Inteligência Artificial. Por exemplo, ele foi treinado com dados da Dinamarca, um país que possui uma base de dados extremamente completa e detalhada sobre seus cidadãos. Isso pode não ser o caso em outros países, o que pode limitar a aplicabilidade do algoritmo em uma escala global.

Embora o foco principal do estudo seja antecipar o risco de morte, o algoritmo também se mostrou capaz de prever outros aspectos da vida. No entanto, seu uso por empresas, especialmente seguradoras, pode trazer implicações éticas e de privacidade. O pesquisador Sune Lehmann Jørgensen, autor do estudo, alerta contra o uso do modelo para fins comerciais.

Os avanços na IA oferecem uma miríade de possibilidades para o futuro da saúde. Com modelos como o Life2Vec, poderemos não apenas prever problemas de saúde futuros, mas também ajudar os governos a reduzir a desigualdade social e melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Ao longo das últimas décadas, a IA tem vindo a revolucionar muitos setores, incluindo a saúde. Com a chegada do Life2Vec, estamos a um passo de fazer previsões precisas sobre eventos futuros em nossa vida. Embora ainda existam desafios a serem superados, o futuro da IA na saúde é certamente promissor.

Fontes: Nature Computational Science e Universidade Técnica da Dinamarca

Apaixonado por tecnologia desde cedo, André Luiz é formado em Eletrônica, mas dedicou os últimos 15 anos a explorar as últimas tendências e inovações em tecnologia. Se tornou um jornalista especialista em smartphones, computadores e no mundo das criptomoedas, já compartilhou seus conhecimentos e insights em vários portais de tecnologia no Brasil e no mundo.
Tekimobile Midia LTDA - Todos os direitos reservados